Hiperidrose – O que é

19 de julho de 2016

Suor abundante provoca desconforto social e pode até levar a transtornos psicológicos.

Suar é uma condição normal do organismo e serve para regular/manter a temperatura do corpo. Suamos no calor, durante exercícios físicos, em momentos de tensão…

Porém, quando o suor ocorre de maneira excessiva, sem ser preciso qualquer fator estimulante, isso passa a ser um problema de saúde -que afeta aproximadamente 1% a 2,8% da população mundial- conhecido como hiperidrose.

A hiperidrose pode ser generalizada ou localizada, acometendo as mãos (hiperidrose palmar), os pés (hiperidrose plantar), as axilas (hiperidrose axilar), a virilha ou, ainda, a face e o couro cabeludo (hiperidrose crânio-facial). Isso acontece porque as glândulas sudoríparas desses pacientes funcionam de forma bem mais acelerada.

Existem dois tipos: a primária e a secundária. A hiperidrose primária geralmente se inicia na adolescência ou mesmo antes e parece ser herdada através traço genético autossômico dominante. Já a secundária é uma hiperidrose adquirida, reflexo de distúrbio da glândula tireoide ou da hipófise, diabetes mellitus, tumores, gota, menopausa, certos medicamentos, ou envenenamento por mercúrio.

Embora pareça um problema simples e com menor gravidade, os pacientes com hiperidrose sofrem bastante por causa dos sintomas e tentam constantemente moldar seu estilo de vida para lidar com o problema.

Para muitos pacientes, a hiperidrose gera desconforto social e muitos constrangimentos, fazendo com que evitem contato físico para que seus sintomas não sejam notados. Além disso, a ansiedade causada pela autoconsciência da transpiração pode agravar o quadro.

Muitas tarefas rotineiras, como pegar objetos de forma segura ou andar descalço, tornam-se impossíveis e em alguns casos perigosas para o paciente, o que pode esgotá-lo psicologicamente. Além disso, sua vida profissional muitas vezes também são afetadas: há quem seja impossibilitado de trabalhar em locais muito quentes, uma vez que correm risco de desidratação; e muitas vezes não são escalados para vagas em que se faz necessário contato com o público.

Hoje, existem maneiras de tratar a hiperidrose e livrar o paciente desses sintomas mas, infelizmente, por se tratar de suor, muitas vezes não é levada com a seriedade que deveria: menos de 40% das pessoas com essa condição busca auxílio médico.

Relacionados