Pectus – Sintomas

14 de outubro de 2015

Além da questão estética, deformidade torácica traz outras complicações.

As deformidades, em geral, são assintomáticas, mas ainda quando criança já são perceptíveis, ficando mais evidentes na puberdade.

Pectus excavatum

Quando chegam na adolescência, os pacientes com pectus excavatum (peito de sapateiro) costumam se queixar de dores retroesternal (atrás do esterno), fadiga fácil, dispneia (falta de ar) e palpitações.

Além da depressão esternal, os portadores apresentam abdômen protuberante, má postura, com deslocamento dos ombros para a frente, e em pacientes do sexo feminino é comum a hipomastia (pequenez exagerada das glândulas mamárias).

Pectus carinatum

No caso de pectus carinatum, a deformidade é, na maioria das vezes, progressiva com o crescimento, mas com poucos ou nenhum sintoma cardiorrespiratório.

Os sintomas porventura presentes são decorrentes de doença associada ou perturbações de ordem psicológica que levam esses pacientes a serem introvertidos, desanimados ou com complexo de inferioridade. Às vezes queixando-se de palpitações, dispneia (falta de ar), dor torácica, esgotamento, sintomas que desaparecem com a correção cirúrgica quando não existe doença associada.

É frequente os pais se apresentarem ansiosos na primeira consulta, afirmando que o problema surgiu nas duas últimas semanas, atribuindo-o a trauma ou emagrecimento da criança.

Qualquer limitação do trabalho, atividade física ou esportiva pode ser atribuída às alterações de ordem emocional que tal deformidade produz. Os pacientes evitam frequentar piscinas, praias e fazer atividades esportivas que exponham o tórax. Mesmo quando o tórax está coberto, tendem a curvar-se para a frente, com “os ombros caídos”, para minimizar a visualização do defeito estético. Escoliose moderada ou leve está presente em 60% dos casos.

Fendas esternais

Em geral, não causa anormalidades funcionais, mas a visão dos batimentos cardíacos debaixo da pele (que são exacerbados em caso de tosse ou expiração forçada) podem alarmar por dar a impressão de que a região está desprotegida. Além disso, sintomas de disfunção cardíaca, modificação na função pulmonar e infecções pulmonares também são relatadas.

Síndrome de Poland

Além da nítida hipoplasia, podem apresentar problemas genito-urinários, anormalidades cardiovasculares e herniação do tecido pulmonar.

Relacionados